Centro de Check-UP cardiovascular

CHECK UP e Exames cardiológicos em Curitiba - Cardiologia

Dra. Daniela Ribeiro Marques Nejm
CRM: 20985-PR - RQE 21616

(41) 3342-6000

(41) 99229-2299

Agende sua consulta!

Cardiologia Curitiba é parte integrante do conjunto de informações e serviços prestados pela ANGIOCOR Curitiba.
Dra. Daniela Nejm é chefe do Serviço de Cardiologia da Angiocor Curitiba e realiza o check up cardiológico: prevenção e tratamento dos males que acometem o correto funcionamento do coração, bem como os exames de diagnósticos.

Infarto agudo do Miocárdio

Infarto agudo do Miocárdio

Um Infarto agudo do miocárdio (IAM) ou enfarte agudo do miocárdio (EAM), conhecido popularmente como ataque cardíaco, ocorre quando as artérias que suprem de sangue a parede do coração (as artérias coronárias) se entopem, em geral por um pequeno trombo (coágulo sanguíneo), o que leva à morte de parte do músculo cardíaco.

Estes coágulos sanguíneos normalmente se formam dentro das artérias coronárias já estreitadas pela aterosclerose, um problema no qual placas de gordura ficam aderidas ao longo das paredes internas dos vasos sanguíneos.

video

Causas do Infarto agudo do Miocárdio

A principal causa está relacionada à presença de uma Doença Arterial Coronariana (DAC).

Trata-se de uma doença onde há a deposição de placas de gordura por dentro das paredes das artérias coronárias (vasos sanguíneos que irrigam o coração).

Quando estas placas de gordura causam obstrução ao fluxo sanguíneo das coronárias para o coração, o músculo cardíaco sofre pela falta de sangue/oxigênio e começa a morrer.

Outra causa relacionada ao infarto agudo do miocárdio é a ocorrência de um severo espasmo coronariano. O espasmo coronariano se refere ao colabamento das paredes das artérias coronárias, impedindo o fluxo sanguíneo ao coração. Embora não se saiba ao certo o que causa o espasmo das artérias coronárias, muitas vezes esta condição está relacionada a:

• Uso de determinadas drogas, como a cocaína;

• Dor intensa ou estresse emocional;

• Exposição ao frio extremo;

• Hábito de fumar cigarro; dentre outros.

Fatores de risco

Alguns fatores de risco podem aumentar as chances de desenvolver uma doença arterial coronariana (DAC) e ter um infarto do coração. Alguns fatores de risco podem ser controlados, outros não:

Os fatores de risco que podem ser controlados são os seguintes:

• Tabagismo;

• Hipertensão arterial;

• Colesterol alto;

• Sobrepeso e obesidade;

• Sedentarismo;

• Diabetes Mellitus (glicose aumentada no sangue).

Os fatores de risco que não podem ser mudados ou controlados são os seguintes:

• Idade: o risco aumenta para homens acima de 45 anos ou para mulheres acima de 55 anos (ou após a menopausa);

• História familiar de doença arterial coronariana (DAC): O risco aumenta se o pai ou um irmão foi diagnosticado com DAC antes de 55 anos de idade, ou a sua mãe ou uma irmã foi diagnosticada com DAC antes de 65 anos de idade.

Sintomas

Nem todas as pessoas têm dor no peito de forma intensa e aguda como sempre é referido. Os sinais e sintomas do infarto podem variar de pessoa para pessoa.

Dentre os sintomas mais comuns, podemos citar:

• Dor no peito ou desconforto torácico: são os sintomas mais comuns do infarto. A dor ou desconforto ocorrem geralmente no centro do peito, com características do tipo pressão ou aperto, de grau moderado a intenso. Geralmente, a dor pode durar por vários minutos ou parar e voltar novamente. Em alguns casos, a dor do infarto pode parecer com um tipo de indigestão, queimação no estômago ou azia.

Outros sintomas observados durante um infarto são:

• Sensação de desconforto nos ombros, braços, dorso (costas), pescoço, mandíbula ou no estômago. Algumas pessoas podem ainda sentir uma sensação de dor tipo aperto nos braços e sensação de incômodo na língua ou no queixo.

• Palidez da pele, suor frio pelo corpo, inquietação, palpitações e respiração curta também podem ocorrer.

• Pode haver também náuseas, vômitos, tonturas, confusão mental e desmaios.

O mais importante é sempre que algum dos sintomas descrito acima surgir um médico deve ser procurado o mais breve possível.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pela análise dos sintomas, histórico de doenças pessoais e de familiares, e pelos resultados de exames solicitados, como: eletrocardiograma, enzimas cardíacas e outros conforme a necessidade.

Abaixo, imagem ilustrativa de eletrocardiograma

Imagem - imagem ilustrativa de eletrocardiograma

Tratamento do Infarto agudo do Miocárdio

O tratamento precoce busca diminuir o tamanho da área afetada e reduzir as complicações pós infarto. O importante é agir rápido diante dos primeiros sintomas de infarto agudo do miocárdio, procurando um atendimento médico prontamente.

Alguns tratamentos são iniciados pelo médico diante da primeira suspeita de infarto do miocárdio, mesmo antes do diagnóstico ser confirmado definitivamente.

Após o diagnóstico o paciente deve ser encaminhado a uma Unidade de Terapia Intensiva onde receberá cuidados gerais como repouso, monitorização intensiva da evolução da doença, uso de medicações e procedimentos para desobstruir a coronária culpada pelo infarto.

Os procedimentos utilizados para desobstruir as coronárias são a angioplastia coronariana e a cirurgia de revascularização miocárdica. A decisão de qual procedimento será utilizado fica sob a responsabilidade do médico junto com o paciente.

Prevenção

A prevenção baseia-se em um maior controle e tratamento dos fatores de risco listados anteriormente, bem como adotar hábitos de vida mais saudáveis.

• Seguir uma dieta balanceada, rica em frutas e verduras. Com baixa quantidade de gorduras e sal.

• Perder peso, em caso de obesidade ou sobrepeso.

• Parar de fumar.

• Praticar atividades físicas regularmente, sob orientação médica.

• Tratar adequadamente doenças como o colesterol alto, hipertensão arterial e diabetes mellitus.

Destaques

Campanha "Setembro Vermelho"

Celebrado todo dia 29 de setembro, o Dia Mundial do Coração, a campanha "Setembro Vermelho" informa a respeito de cardiopatias.

Campanha 'Setembro Vermelho'

Você sabia que cerca de 80% das doenças cardíacas podem ser evitadas? O mês de setembro foi escolhido para concentrar as campanhas de conscientização, prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares. A saúde de nosso coração está em evidência nesta época do ano, pois estamos no "Setembro Vermelho".

Como reconhecer um infarto

Os sintomas clássicos são aperto no peito espalhando para o braço esquerdo, suor em excesso e perda da consciência.

Reconhecimento de um infarto: Apenas 2% dos brasileiros sabem reconhecer um infarto.

É importante lembrar que quando se trata de doenças do coração, a falta de informação pode ser fatal. No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, a cada 2 minutos morre uma pessoa devido a uma enfermidade cardiovascular, e não saber quando se trata de um infarto diminui a chance de sobrevivência.

A importância do check up cardiológico

Saiba por que ver seu médico regularmente e a realização do check up cardiológico é importante para a saúde de seu coração.

A importância do check up cardiológico

Com a doença cardíaca, causando vítimas em todo o país, devemos sempre ter uma imagem precisa de nossa saúde cardiovascular. O check-up é considerado uma das pontas da medicina preventiva. Manter a saúde em dia é indispensável, e o check up cardiológico, também é de extrema importância.

Razões para se realizar o check up médico!

A saúde é um componente chave para tudo o que fazemos, conheça as razões para a realização de um check up médico, mesmo se sentindo bem.

Razões para se realizar o check up médico!

Você se sente bem, não toma medicamentos regularmente, não fuma, e toma muito cuidado com a alimentação. A possibilidade é: você provavelmente não realizou um check up por um tempo, certo? No entanto, os médicos advertem com relação a este comportamento, em termos de saúde a longo prazo.

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável Técnico: Dra. Daniela Ribeiro Marques Nejm - CRM: 20985-PR - RQE 21616

Desenvolvido por: Paulo Henrique